A Seta do Tempo e a Entropia

Por Rayson Vitor


As leis da física não fazem distinção entre passado, presente e futuro; além disso podem descrever fenômenos que ocorrem tanto do passado para o futuro e vice-versa. Contudo não se vê tais bizarrices no nosso cotidiano, muito embora elas tenham profunda relação com fato de o porquê do tempo apresentar essa assimetria de fato. Tal assimetria está ligada ao estado inicial do Universo no Big-Bang, notadamente durante a "Era de Planck", que ainda carece de uma teoria que descreva satisfatoriamente tal espaço de tempo e que produza predições testáveis (a Teoria das Supercordas é uma das candidatas). Porém sabemos que a propriedade responsável pela assimetria temporal dos fenômenos físicos e do Universo é descrita pela Segunda Lei da Termodinâmica: a entropia de uma sistema fechado sempre aumenta com o tempo, nisto está a origem da seta do tempo. Ou seja, a entropia (grau de desordem do Universo) foi mais baixa no passado, e recuando mais no tempo era mais baixa ainda. Uma das grandes questões da cosmologia moderna é explicar a razão desta baixa do Universo Primordial e o que levou a isso. Mais uma vez, como afirma Roger Penrose, a gravitação quântica, necessariamente, tem de ter entre suas predições uma explicação para o que levou a esta condição de baixa entropia, tendo implicações não somente para o entendimento da evolução do Universo como também para diversos fenômenos como o envelhecimento e a degradação da energia.

0 comentários:

Postar um comentário